|
October 22, 2015
|

Apps pagos ou compra interna: qual melhor para investir

O mercado de aplicativos está em constante crescimento, sendo impulsionado por um número cada vez maior de smartphones e usuários ao redor do mundo. De um lado, existem milhões de possíveis clientes para os apps, do outro, estão os desenvolvedores, que muitas vezes ficam em dúvida para definir qual é a melhor forma de monetizar os seus aplicativos.

Diante disso, os desenvolvedores costumam se questionar sobre o que é melhor para lucrar: apps pagos ou compra interna de recursos adicionais dentro de um aplicativo grátis? Leia o nosso post para entender mais sobre essas duas formas de lucrar com apps e saiba qual é a melhor para investir no seu próximo aplicativo.

Os aplicativos pagos

As aplicativos que são completamente pagos só podem ser instalados após o pagamento, geralmente possuem todos os recursos disponíveis, podendo contar ainda com suporte técnico. Existem aplicativos pagos das mais diversas categorias, desde produtividade, edição de fotos e vídeos, suites office e até mesmo jogos, onde o objetivo é apenas se divertir. Os desenvolvedores que fornecem aplicativos pagos costumam criar versões limitadas gratuitas do mesmo app, a fim de conseguir que os usuários façam um teste de seu app gratuitamente e tomem a decisão de adquirir a sua versão paga.

Apps com compra interna

Com o aumento da demanda de aplicativos, surgiu um jeito diferente de monetizá-los, que pode ser uma ótima opção para os desenvolvedores: os aplicativos com compra interna, ou como são mais conhecidos,  in-app purchase. Essa estratégia de gerar receita surgiu da ideia de permitir que a pessoa use a versão gratuita do aplicativo e possa adquirir outros recursos e funcionalidades adicionais dentro do app. Desse modo, o usuário que já está acostumado a utilizar o aplicativo, se e quando sentir a necessidade de determinado recurso pago, pode comprá-lo.

No início, a maioria dos aplicativos que utilizavam esse conceito eram os jogos, onde os usuários podiam comprar mais vidas, abrir mais desafios ou novas personagens, por exemplo. Atualmente, esse é o modelo de monetização que mais cresce no meio dos aplicativos, sendo utilizado em apps das mais variadas categorias.

Em apps pagos, existe a possibilidade de disponibilizar funcionalidades, que podem ser adquiridas pelo usuário através de compra interna. Apesar de possível, essa não é a opção mais indicada, ela pode provocar nos usuários a sensação de que, mesmo comprando, eles não recebem todos os recursos.

Além disso, também existem os modelos de monetização baseados em anunciantes, onde os aplicativos gratuitos exibem anúncios durante a sua execução, normalmente, após a primeira tela ou após acabar certa atividade — como, por exemplo, concluir a fase de um jogo. Esse modelo também é muito utilizado, mas a quantidade de receita gerada depende da popularização do seu app.

Apps pagos ou compra interna: como escolher?

Antes de escolher entre a compra interna ou tornar seu app pago, analise os aplicativos concorrentes e veja quais são suas formas de monetização. Faça um estudo do seu público-alvo e das funcionalidades que o seu aplicativo terá. Lembre-se que, se a forma inicial de monetização não der certo, você pode mudá-la ou incluir novos recursos em seu app para atrair o público. O importante é estar sempre adaptando a sua estratégia para conseguir desenvolver um aplicativo de sucesso!

E você, prefere desenvolver apps pagos ou disponibilizar compra interna? Conte para nós a sua opinião sobre a monetização de apps!

Comments

More articles

X dicas para você criar uma estratégia de mobile marketing infalível

November 20, 2018

Pesquisa de mercado: Por que ela é importante para o desenvolvimento de apps?

November 19, 2018

Google Play: Entenda o que é e qual a sua função

October 18, 2018

6 aplicativos Android que você precisar ter no seu celular

October 17, 2018